Home Page
top  
 

A Revolta

 

O diabetes é um solo fértil para o crescimento da revolta e da raiva. Esses sentimentos podem começar, no momento do diagnóstico, com a pergunta “por que eu?”.

Você pode ficar remoendo o quanto o diabetes é injusto: "eu tenho tanta raiva desta doença! Não quero ter de controlar doença alguma. Eu odeio isso!".

Uma das razões desta revolta ser tão comum é que o diabetes pode fazer você se sentir ameaçado. A vida com diabetes pode parecer cheia de perigos como as complicações ou as reações à insulina. Quando sente estas ameaças, a revolta surge como mecanismo de defesa.

Embora seja verdade que a raiva descontrolada pode causar mais mal do que bem, isso é só uma parte da história. A raiva também pode ajudar a se proteger, desde que aprenda a usar sua raiva. Pode-se até usá-la para melhorar o cuidado com o diabetes!

Revolta e auto-cuidado

A raiva pode trabalhar contra a pessoa quando ela fica furiosa por ter diabetes. Nesta hora, o diabetes é visto, não só como ameaça à saúde, mas é sentido como uma ameaça contra todo o estilo de vida da pessoa. Além disso, é normal sentir que se tem “um defeito”, que o diabetes é “uma fraqueza” ou “uma forma de invalidez”. Por isso, muitas vezes, as pessoas querem esconder a doença dos amigos. Reparem que a negação da doença alimenta a revolta e raiva contra o diabetes.

O círculo da revolta

Em grande parte dos casos, o diabético fica preso num ciclo de revolta. Ele tem raiva do diabetes, porque vai mudar sua vida em muitos aspectos. Então, se recusa a encarar suas necessidades de cuidado, porque se recusa a mudar sua vida. O diabetes vai seguir sem controle e a glicemia vai permanecer alta. Isto vai fazer a pessoa se sentir mal. O mal-estar piora com o tempo e isto aumenta a raiva contra o diabetes.

Se perceber que está num círculo de raiva, você não precisa permanecer preso a ele. Enumeramos algumas sugestões, encontradas em livros, para quebrar o ciclo:

1. Descubra o que está deixando você com raiva - Como a raiva está afetando sua vida? Observe em que situações você se sente com raiva. No fim do dia, pare para pensar e anote. Quando você ficou com raiva? Que horas eram? De quem você estava com raiva? O que você fez sobre isso? Depois de algumas semanas, leia suas anotações. Existe algum padrão? Com isso, você pode descobrir que situações lhe provocam raiva para poder, então, aprender a lidar com elas, sozinho ou com a ajuda de um psicólogo;

2. Mude os pensamentos, respostas físicas e ações que alimentam sua raiva - Procure identificar os sinais de alerta de que sua raiva está crescendo. Você se sente tenso? Está falando mais alto ou mais rápido? Quando sentir que a raiva está tomando conta de você, procure se acalmar utilizando uma das seguintes maneiras abaixo. Estes passos não vão fazer com que você deixe de sentir raiva. Ao contrário, o objetivo deles é que você consiga administrar a sua raiva:

  • Fale devagar
  • Respire mais devagar
  • Tome um copo d’água
  • Sente-se
  • Recoste-se
  • Fique quieto, pois o silêncio é de ouro nestas situações!

3. Descubra como fazer sua raiva trabalhar para você - O registro escrito, sugerido acima, pode ajudar. Leia as anotações novamente. Examine cada situação. Pergunte a si mesmo: como a raiva estava me ajudando a lidar com a situação? Tente, então, pensar em como resolver estas questões de maneira direta e prática.

Mas, isto nem sempre é fácil. Encontrar outras pessoas com diabetes pode ser bom para trocar experiências, ver como os outros resolvem problemas semelhantes aos seus. Além disso, ajudará você a se sentir menos sozinho e a ver que ter diabetes não faz de ninguém uma pessoa inferior. Por isso, uma boa idéia é procurar a associação de diabetes mais próxima.

Transforme a raiva em sua aliada

O objetivo não é tirar completamente a raiva da sua vida. É natural ter raiva de algumas coisas. Quando você se sentir ameaçado, com medo ou frustrado, a raiva é uma resposta normal. O importante é que você pode colocar a raiva para trabalhar a seu favor.

Sua raiva pode ser um sinal de que você precisa tomar uma atitude. Algumas sessões com um terapeuta bem treinado podem ajudar. A raiva pode ser uma força para a ação, a mudança e o crescimento. Quanto melhor você entender sua raiva, mais estará apto a usá-la para um bom auto-cuidado.

É claro que estas informações não esgotam o assunto, mas são um primeiro passo para ajudá-lo a compreender melhor suas emoções e, portanto, melhorar sua qualidade de vida.

Ana_Lyse
TOPO

 
borda   borda