Home Page
top  
 

Vida com qualidade

Falar de diabetes não é só falar de doença. Por isso, a matéria deste mês aborda os caminhos para o bem estar físico e emocional.

A qualidade de vida de uma pessoa com diabetes está intimamente ligada ao bom controle da doença. E esse controle é função direta dos cuidados com o corpo, como a alimentação saudável e a prática regular de exercícios físicos.

Superando os sentimentos negativos

Você já ouviu milhões de vezes que o cuidado do diabetes depende de você. Mas é mais fácil falar do que fazer. Ficar motivado 24 horas por dia, sete dias na semana, pode cansar qualquer um.

É claro que quanto mais seguir o plano de tratamento, mais energia irá sentir. Mas, e se você perder o estímulo? Se ficar “pra baixo”? Isso pode acontecer com qualquer um. Se acontecer com você, é importante checar para ver se suas emoções estão atrapalhando o autocuidado.

Para identificar quando os sentimentos estão prejudicando o autocuidado, você precisa, antes de tudo, saber que sentimentos são estes. Vamos lá: as três emoções que costumam interferir com o autocuidado são a negação, a depressão e a revolta. Mas, afinal, o que é isto?

Neste mês, falaremos a respeito da negação.

A negação

A negação é aquela voz dentro de você que repete: “Comigo não”. A maioria das pessoas passa por isso, quando recebe o diagnóstico de diabetes. “Eu não acredito. Deve haver algum erro”, elas dizem.

Esta primeira reação não é o pior problema. Na verdade, ela é tão comum que muitos médicos a consideram uma parte do processo de aceitação do diagnóstico.

O problema é quando o tempo passa e você continua negando o seu diabetes. Quando a negação dura muito tempo, ela impede você de aprender o que é necessário para se manter saudável.

Por que negar?

Às vezes, a negação serve a um propósito. Ela é um modo de lidar com as más notícias e evita que você se sinta sufocado e deprimido. Além disso, ela ajuda a aceitar as notícias aos poucos, quando você estiver pronto para isso.

Mas a negação pode voltar mais adiante, porque faz tudo parecer mais fácil. Só que negar o seu diabetes é sério e evita o autocuidado.

A negação não deixa você se conscientizar do fato que o diabetes é uma doença crônica, que dura a vida toda e que se for deixada sem o tratamento adequado pode levar a complicações graves. A negação também deixa seus amigos e familiares fingirem que “nada está errado”.

Os médicos que não são especializados em diabetes também podem reforçar a sua negação. Eles podem dizer que seu caso é “leve” ou que “tem só um pouco de açúcar no seu sangue”. Apesar de bem intencionadas, estas palavras passam uma mensagem errada. O que você escuta é: “Não se preocupe. Seu diabetes não é tão grave a ponto lhe causar danos”.

Identificando a negação

A negação tem algumas frases típicas. Se você se pegar pensando desta forma ou dizendo isso a alguém, você está deixando de lado alguma parte do cuidado do seu diabetes:

  • Uma mordida não vai fazer mal;
  • Esta ferida (machucado, inflamação) vai se curar sozinha;
  • Vou deixar para ir ao médico depois;
  • Não tenho tempo para fazer isso;
  • Meu diabetes não é grave, porque eu só preciso tomar comprimidos e não insulina.

Perigo escondido

Como a negação pode estar presente em qualquer parte do autocuidado do diabetes, ela pode ser perigosa. Qualquer negação sabota o cuidado com a sua saúde. Vejamos:

Não testar: Pode ser um incômodo checar sua glicose regularmente. Você pode decidir que “sabe” qual é sua glicemia pelo modo que se sente. Mas o teste dá uma medida muito melhor da glicemia do que os seus sentimentos ou intuições.

Ignorar seu plano alimentar: Mudar os hábitos alimentares é difícil. Quando seu médico disse para procurar uma nutricionista, seguir um plano alimentar e mudar seus hábitos alimentares, talvez tenha pensado:

  • É muito caro consultar uma nutricionista;
  • Eu posso pedir a minha família para mudar o que eles comem. Eu não quero comer sozinho ou obrigar a ter duas refeições diferentes em casa;
  • Não tem onde comprar comida saudável perto do meu trabalho (ou estudo);
  • É muito difícil levar meu almoço.

Comer certo pode não ser difícil como você pensa. Uma nutricionista pode ajudar a planejar o que serve às suas necessidades pessoais.

Esquecer dos seus pés: Você sabe que deve checar seus pés diariamente, mas “isso leva muito tempo”. Ou se esquece. Ou quando tem dificuldade de movimentos, se convence de que “isso é muito difícil”.

É essencial que todos os dias você lave e verifique seus pés, buscando sinais de problemas, para evitar lesões graves. Isso é verdade independente do tipo de diabetes que você tenha.

Fumar: Você pode dizer para si mesmo, “eu só dou umas tragadas”. Ou pode dizer que fumar evita que coma demais: “Se eu parar, vou ganhar peso”. Acontece que diabetes e tabagismo pode ser uma combinação mortal. Fumar aumenta o seu risco de complicações. Parar de fumar é uma das melhores coisas que pode fazer pela sua saúde.

Evitando a negação

Negar é humano. E costuma acontecer de tempos em tempos. O importante é que quando aconteça, você possa reconhecer o processo e lutar contra.

Escreva o seu plano de tratamento num papel. Compreenda porque cada item no seu planejamento é importante. Aceite que vai levar um tempo até que alcance todas as metas. Se achar que está negando alguma parte do autocuidado, peça ajuda a alguém do grupo de educação em diabetes ou ao seu médico. Se estiver com problemas com seu plano alimentar, fale com uma nutricionista. Juntos podem encontrar as soluções.

Diga aos seus amigos e familiares como eles podem ajudar. Diga também que encorajar você a não seguir o plano alimentar não é uma bondade. Informe-os sobre como cuida do seu diabetes - eles podem querer adotar alguns dos seus hábitos saudáveis.

Ana_Lyse
TOPO

 
borda   borda