Home Page
top  
 

Insulina

Insulina é um hormônio produzido pelas células beta do pâncreas e é a responsável pelo equilíbrio da glicose no sangue.

É uma proteína igual a que existe nas carnes, por exemplo, e é composta de 51 aminoácidos com uma seqüência específica. Poderíamos imaginar que a insulina é como um colar de pérolas e que, cada pérola, representaria um destes aminoácidos.

A insulina pode ser obtida de forma purificada do pâncreas do porco - origem suína -, mas vai ser diferente em um dos aminoácidos na cadeia B. Na de origem suína, o aminoácido na posição 30 é a alanina e na insulina que o organismo normalmente secreta, o aminoácido nesta mesma posição é a treonina.

Com o avanço da engenharia genética, é possível reproduzir a insulina exatamente como o pâncreas fabrica, através da bactéria E. coli ou do levedo Saccharomyces cerevisiae, o mesmo do fermento do pão e cerveja. Estas insulinas são consideradas de origem humana - biossintéticas.

Existem diferentes insulinas que podem atender a diversas situações e estilos de vida. Na maioria das vezes, para um melhor controle da glicemia, é necessário o uso de mais de um tipo de insulina.

Veja abaixo a diferença entre cada uma delas.

Principais características:

  • Início de ação = é o tempo que a insulina leva antes da atingir a circulação sanguínea e começar a agir;
  • Pico de ação = é o tempo durante o qual a insulina atua com sua capacidade máxima para diminuir a glicose no sangue;
  • Duração = quanto tempo a insulina se mantém agindo para diminuir a glicose no sangue.

 

Insulina de ação rápida

É cristalina, como “água de rocha”, e conhecida com o nome de regular. Após aplicação subcutânea, atinge a circulação sanguínea em, aproximadamente, 30 minutos. O pico de ação ocorre entre 1-3 horas após a administração e tem duração de oito horas.

 

Insulina de ação ultra-rápida

Também têm um aspecto cristalino e são conhecidas como “análogos da insulina”, pois em sua estrutura química ocorre uma troca de aminoácidos. Na chamada Lispro (nome farmacológico) existe uma troca do aminoácido lisina pela prolina. Esta insulina começa a agir cerca de 15 minutos após a aplicação. O pico de ação é entre trinta minutos e uma hora e meia após ter sido administrada e sua duração é em torno de quatro horas. Na recém-lançada Aspart (nome farmacológico) existe uma troca do aminoácido prolina pelo ácido aspártico na posição B28 da molécula de insulina. Seu início de ação ocorre entre 10 a 20 minutos depois da administração e o pico de ação é de uma a três horas após. Sua duração é de três a cinco horas.

O rápido início e pico de ação desta nova preparação insulínica facilitam o melhor controle glicêmico, principalmente após as refeições.

No próximo mês de novembro, falaremos um pouco mais sobre insulinas.

Sara_Kura
TOPO

 
borda   borda